Dia Mundial das Doenças Raras com bênção do Papa

Dia Mundial das Doenças Raras com bênção do Papa

  • redwork_dohler

Francisco pede apoio para os doentes e suas famílias

 

Cidade do Vaticano, 28 fev 2017 (Ecclesia) – O Dia Mundial das Doenças Raras, que se celebra hoje, conta com o apoio do Papa, que pediu mais soluções e ajudas para os doentes e suas famílias.

“Desejo que os pacientes e as suas famílias sejam adequadamente ajudados, neste percurso que não é fácil, tanto a nível médico como legislativo”, disse Francisco, no último domingo, perante milhares de pessoas reunidas na Praça de São Pedro para a recitação do ângelus.

O Papa saudava um grupo que ali acorreu para assinalar esta jornada evocativa das Doenças Raras, que em 2017 é dedicada ao tema ‘Com investigação, as possibilidades são ilimitadas’.

Em novembro de 2016, Francisco afirmou a prioridade de estar junto das pessoas afetadas por doenças “raras e descuidadas”.

Numa mensagem enviada aos participantes na XXXI Conferência Internacional promovida pelo Conselho Pontifício para a Pastoral da Saúde, sobre o tema ‘Por uma cultura da saúde acolhedora e solidária ao serviço das pessoas afetada por doenças raras e descuidadas’, o Papa disse que não basta o “estudo científico”.

“Juntamente com o estudo científico e técnico, é crucial a determinação e o testemunho de quem se compromete com as periferias não só existenciais, mas também assistenciais do mundo, como com frequência é o caso das doenças raras e descuidadas”, sublinhou então.

400 milhões de pessoas sofrem em todo o mundo de doenças raras e 1000 milhões de doenças descuidadas, na maioria “de natureza infeciosa e difundidas entre as populações mais pobres do mundo”.

Antes, a 29 de abril, Francisco tinha destacado no Vaticano a necessidade de “investir” mais na busca de soluções para as doenças raras e degenerativas, durante um encontro com participantes de um congresso internacional dedicado a estes temas.

Na sua intervenção, o Papa salientou que apesar de as doenças raras afetarem milhares de pessoas em todo o mundo, prevalece muitas vezes “uma economia de exclusão e iniquidade”, que “semeia vítimas quando o lucro prevalece sobre o valor da vida humana”.

O Dia Mundial das Doenças Raras, assinalado desde 2008 no último dia do mês de fevereiro, foi definido pela Eurordis, uma aliança não-governamental de associações de doentes.

Estima-se que existam em Portugal entre 600 e 800 mil pessoas com doenças raras, ou seja, patologias que têm uma prevalência inferior a cinco casos por cada dez mil pessoas.

Fonte: Agência Ecclesia.